Pular para o conteúdo principal

Venture

Esse é uma breve análise sobre a carta Venture.


Tradução livre...:  Tesouro \$1. Quando você joga isso, revele as cartas do seu deck até que você revele um treasure. Discarte as outras cartas. Jogue aquele tesouro.

Como descrito, Venture fornece \$1 + o valor do próximo tesouro a ser revelado. Inicialmente com Coopers, Venture fornece basicamente \$2. A questão inicial que levanto é, qual o valor que 4 Ventures fornecem?  Num jogo de Big Money, qual a proporção ideal de Golds e Ventures  que um deck poderia ter?

Bom, minha solução proposta é considerar as seguintes simplificações:
1) O valor fornecido por esse Treasure é obviamente aleatório. Iremos investigar o caso do valor médio.
2) Iremos desprezar o fato de não haver  um "próximo tesouro".

No caso de apenas um Venture, o valor médio fornecido por ele é \$1 + o valor médio dos Treasures do Deck. Para os demais Ventures podemos calcular com a seguinte recursão.

Seja $V$ é a função que mapeia o índice com o valor do Venture, $M$ a função de valor médio das cartas pelo número de Ventures.
Por exemplo, considere $G$, a quantidade de Golds e $C$ a quantidade de Coppers no deck.


\begin{equation*}
M(0) = \frac{3G + C}{G + C}
\end{equation*}

O próximo venture fornecerá (em média)

\begin{equation*}
V(1) = 1 + M(0)
\end{equation*}

... o que mudará o valor médio dos Treasures do Deck para...

\begin{equation*}
M(1) = \frac{(V(1) + M(0).(G+C)}{G+C+1}
\end{equation*}

De forma geral...

\begin{equation*}
M(n) = \frac{V(n) + M(n-1).(G+C+n-1)}{G+C+n}
\end{equation*}

Não é bacana resolver essa recursão. E dado que a série é discreta, aqui um programinha que simula o problema. O programa a seguir imprime uma matriz M(g,n) do valor médio dos Tresures do Deck, onde g é a quantidade de Golds no deck - 1 e n a quantidade de ventures -1 em função de c (quantidade de coppers).
require 'matrix'
args = ARGV.map{|arg| Integer(arg)}
class Venture
  
  def initialize(n=100,g=100, c=7)
    @c = c
    @venture = Array.new(n) { Array.new(g) {-1}}
  end
  
  def print(n, g)
    n.times{ |i|
      g.times { |j|
        memoized_value(i, j)
      }
    }
    n.times{ |i|
      line = ""
      g.times { |j|
        line << "#{1.0 * @venture[i][j]/ (i + j + @c)} "
      }
      puts line 
    }
  end
    
  def memoized_value(n, g)
    @venture[n][g] = value(n,g) if @venture[n][g] == -1
    @venture[n][g]  
  end
  
  def value(n,g)
    if (n == 0)
     3*g + @c
    else
     1 + 1.0 * value(n-1, g)*(n+g+@c)/(n+g+@c -1)
    end
  end
end
Venture.new(*args).print(args[0],args[1])
Os resultados obtidos obviamente variam com a quantidade de Coppers no Deck. Quanto maior a média, mais eficiente os Ventures serão em relação aos Golds.

Cenário com 7 Coppers
Cenário com 3 Coppers
Cenário com 1 Copper

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Um texto pós-moderno - better man

Espere olhando para as horas... são 4 horas. Tem que parar. Nesse tom melancólico, começa a modesta música "better man", uma balada pop composta por Eddie Vedder ainda na adolescência. A música é a ilustração perfeita da ironia. O próprio título é irônico, uma vez que em momento algum na música aparece um better man. She lies and says she's in love with him, can't find a better man... Irônico, não!? Para começar, com a personagem central da história, a mulher que aguarda tarde da noite seu esposo... Ela chega a treinar com o espelho o fim do relacionamento. E o que faz? Diz a negação do que queria dizer. Vedder escreve músicas sobre sentimentos fortes. Sua relação com a mãe foi bastante complicada pelo o que descreve em suas canções. Na trilogia Mommy, Vedder descreve um homem perturbado com o relacionamento materno; a mãe mente para o filho sobre a identidade do pai, revela a verdade para o garoto na puberdade dizendo a ele como se parece com o verdadeiro pai e o

Pequeno manual do ócio em terras alemãs

  Pequeno manual do ócio em terras alemãs Como Lei alemã favorece aproveitadoras (e alguns aproveitadores que nunca tive o desprazer de conhecer)   Há algumas vias pelas quais pessoas de países em desenvolvimento migram para países como a Alemanha.   Por exemplo, é sabido que países desenvolvidos sofrem de escassez de mão-de-obra qualificada. Por esse motivo, países como a Alemanha dispõe vistos "especiais" para profissionais em demanda. Esse é o conceito do Blaukart (Blue Card) que na Alemanha se destina a profissionais salário anual seja superior a 55 mil euros ou 43 mil no caso de profissionais de áreas em alta demanda. Não há como recrutar essa mão-de-obra sem que a família desses profissionais também possa ser relocada. Então esses profissionais e seus familiares são relocados.   Além de se qualificar para essas vagas em demanda, ou ser parte direta da família qualificada, outra via possível para a imigração para o território alemão é através do matrimôni

O argumento anti-álcool

A lógica contra a produção do álcool é mais ou menos a seguinte: Os produtores capitalistas, produtores do combustível de humanos e máquinas irão preferir vender combustível mais caro para os mais ricos do que comida barata para os mais pobres. Máquinas e homens irão competir por combustível... Mas enquanto os ricos terão dinheiro para comprar comida e combustível o que sobrará aos pobres!? Vale lembrar que não importa se a produção é de cana ou de milho, a competição é pela terra e não pelo grão. Ainda, mesmo que o país agrícola taxe o produtor de combustível de maneira diferenciada ao produtor de comida, o governo teria maiores dificuldades em repartir o "bolo", haja vista que os governos que temos não são as instituições mais eficientes e, além do que, a comida estará mais cara. Ora, esquecem os "amigos" comunistas que a venda de biocombustível dará aos países agrícolas uma oportunidade ímpar de participar da economia mundial como protagonistas, e não meros fi